(Comer em Veneza, por http://www.callingeurope.blogspot.com)

Em Veneza, ao contrário do que a maior parte das pessoas pensam, é muito barato fazer uma refeição. Segue uma pequena descrição de alguns dos sitíos que não pode perder numa refeição em Veneza.

Se quer provar o menu turistico com tudo a que o visitante tem direito então dirija-se para a Ponte Scalzi (uma das 3 únicas pontes que atravessam o Grande Canal) e à saida da ponte na direcção para a frente com destino a S.Marcos (na margem oposta à estação de comboios) irá encontrar a Trattoria “Pasta e Pizza”.

Por apenas 14€ é possível comer um 1º Prato (geralmente uma massa), um 2º Prato ( geralmente um prato de carne) e para acompanhar salada ou batata frita, como preferir.
O preço inclui também o servizio ou coperto que é um valor que frequentemente se paga por fora para compensar o serviço de esplanada e a gorjeta.
Aqui é também possível experimentar pizzas individuais desde os 4.50€ e pastas desde os 5.50€.

Se está cansado ou simplesmente pretende uma refeição mais ligeira procure a Ponte dell Accademia e a cinco minutos a pé desse local, na direcção da Piazzale de Roma, vai conhecer o “take-away”, Pizzaria Calda Pizza. Tem umas pizzas magnificas preparadas na hora que vão desde os 6€ para uma individual (4 fatias) até à gigante (ainda maior que uma familiar, com cerca de 10 fatias gigantes) por 9€.

Se não quiser uma pizza inteira, aqui também vendem pizza à fatia por valores que rondam os 2€ e enquanto come pode sempre ficar a espreitar o Kebab a ser feito.

A Maravilha da alimentação em Veneza é o restaurante Brek.Localizado numa zona de fácil acesso não tem como não encontrar este restaurante.Decoração moderna, iluminação rica, espaço amplo e até com terraço para fazer as refeições é descrição bastante para este espaço localizado a 200 metros da Estação de comboios de Santa Lucia.
Esta verdadeira mina de preços baixos fica a face de uma das ruas com maior movimento de acesso à ponte Scalzi.

O Brek faz parte de uma cadeia de restaurantes espalhada um pouco por toda a Itália com o conceito de Buffet.As refeições são preparadas no momento mesmo à nossa frente e não demoram mais de 2/3 minutos a ficarem prontas.Durante o par de minutos de espera é ainda possível escolher saladas, sobremesas tipo de pão, bebidas, etc.

Os preços das refeições variam desde os incríveis 3.10€ por um prato de “Pasta al Pomodoro” (uma massa diferente todos os dias com molho de tomate estupendo) até ao “Piato Bis”, onde se pode escolher dois tipos de massa diferente servidos num prato gigante.A lasanha custa uns fabulosos 3.70€.

Sempre que possa evite as mais movimentadas e também o comércio nas zonas de principais atracções como S.Marcos e Rialto, onde uma fatia de pizza ou um gelado pode custar o dobro de outros locais.

Atrações turísticas

Basilica di San Marco:

A Basilica di San Marco é a mais famosa das igrejas de Veneza e um dos melhores exemplos da arquitetura bizantina. Localizada na Praça de São Marcos (Piazza di San Marco), ao lado do Palácio dos Doges, a basílica é a sede da arquidiocese católica romana de Veneza desde 1807.
A primeira igreja construída no local foi um edifício temporário no Palácio dos Doges, construído em 828, quando mercadores venezianos adquiriram de Alexandria as supostas relíquias de São Marcos Evangelista. Em 832, um novo edifício foi erguido, no local da atual basílica; esta igreja foi incendiada durante uma rebelião em 976, reconstruída em 978 e, mais uma vez, em 1063, no que viria a ser a base do atual edifício.
A igreja apresenta uma planta em cruz grega, baseada nos exemplos de Hagia Sophia e da Basílica dos Apóstolos, ambas em Constantinopla. Possui um coro elevado acima de uma cripta. A planta do interior consiste em três naves longitudinais e três transversais. Um baldaquino cobre o altar principal, com colunas decoradas com relevos do século XI. O retábulo é a famosa Pala d´Oro – um trabalho em metal bizantino de 1105. Atrás do altar principal há um segundo altar com colunas de alabastro. Os cercados do coro, acima dos quais há três relevos de Sansovino, apresentam obra de marchetaria de Fra Sebastiano Schiavone. Os dois púlpitos de mármore da nave são decorados com estatuetas dos irmãos Massegne (1394).
A basílica foi consagrada em 1094, no mesmo ano em que o corpo de São Marcos foi supostamente reencontrado num pilar pelo Doge Vitale Falier. A cripta passou então a abrigar as relíquias até 1811. O edifício também possui uma torre baixa, que alguns pensam ter integrado o Palácio dos Doges original.
Embora a estrutura básica do edifício tenha sido pouco alterada, sua decoração mudou muito ao longo do tempo. Cada século contribuiu para o seu adorno, especialmente o s. XIV, e era raro um navio veneziano voltar do oriente sem trazer uma coluna, capitéis ou frisos retirados de algum edifício antigo e destinados à igreja. Aos poucos, a alvenaria exterior de tijolos foi recoberta com mármores e outros elementos, alguns mais antigos que o próprio prédio. Uma nova fachada foi erguida e os domos foram cobertos com estruturas mais altas em madeira, de modo a tornar o conjunto mais harmônico com o novo estilo gótico do Palácio dos Doges.
Por dentro, as paredes foram recobertas com mosaicos, numa mistura dos estilos bizantino e gótico; o piso, do século XII, é uma mistura de mosaico e mármore em padrões geométricos e desenhos de animais. Os mosaicos contêm ouro, bronze e uma grande variedade de pedras.
Os Cavalos de São Marcos foram acrescentados à basílica em torno de 1254. São obra da Antigüidade Clássica; alguns crêem que antes adornaram o Arco de Trajano. Foram enviados para Veneza em 1204 pelo Doge Enrico Dandolo, como parte do saque de Constantinopla na Quarta Cruzada. Foram retirados por Napoleão em 1797 mas devolvidos à basílica em 1815, onde permaneceram até os anos 1990. Encontram-se atualmente numa sala de exposições, havendo sido substituídos por réplicas em fibra de vidro.
Piazza San Marco, 522-5205, http://www.basilicasanmarco.it. Basílica: 9h45/17h (abril a junho), Museu: 9h45/17h (seg. a sáb., de abril a setembro), 13h/16h (dom., de abril a setembro).

Palazzo Ducale:
Antiga residência oficial dos doges, os governantes de Veneza, foi construído no século 9 para só mais tarde ganhar os ares góticos que exibe atualmente. É lindíssimo – repare nos arcos do térreo e da galeria e preste atenção nos detalhes da Porta della Carta, do século 15. – Piazzeta San Marco, 522-4951. 9h/19h (de março a outubro), 9h/17h (de novembro a fevereiro).

Passeio de Gôndola: Nada tem mais a cara da cidade do que passear de gôndola pelos canais. O tour dura, em média, 50 minutos, e cada gôndola comporta no máximo seis pessoas. – Ente Gondola (órgão organizador do passeio): San Marco, 3613, 528-5075, http://www.gondolavenezia.it. 24h.

Colezzione Peggy Guggenheim: A melhor coleção de arte moderna de Veneza fica neste palácio, onde a norte-americana Peggy Guggenheim reuniu obras que vão de Magritte a Picasso, incluindo esculturas. – Dorsoduro, 701, na Calle San Cristoforo, 240-5411, http://www.guggenheim.org. 10h/18h (qua. a seg.).
Galleria DellÀcademia: O mais completo museu da cidade conta cinco séculos da história veneziana em obras de arte que incluem trabalhos de Giovanni Bellini, Vittore Carpaccio e Paolo Veronese. – Dorsoduro, próximo à Ponte Accademia, 522-2247. 8h15/18h30 (ter. a dom.).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s